Noites Cafajestes à venda

Noites Cafajestes está de novo à venda, agora no site da Amazon Brasil: clique no link abaixo, e digite o nome do livro na pesquisa loja kindle, no alto da página.
Um verdadeiro guia de comportamento e sabedoria canalhas e cafajestes por R$6,00.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Descobertas feitas em mesas de bar e registradas em guardanapos - LXXVI

"Deveríamos agradecer certas mulheres, por recusar nossas investidas."

Este escriba, ainda no começo da incursão noturna, após ver claramente, quase à luz (entenda-se, longe da escuridão estroboscópica da pista/porão da casa noturna), os 'encantos' da garota que ele abordou minutos antes naquele breu, e o rechaçou sem a menor finesse. Respirei fundo e fui tomado por um grande alívio. 

Saudações canalhas e cafajestes

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Eternal Night Feeling

Uma pequena obra-prima perdida  no tempo. A interpretação é tecnicamente ruim, mas intensa e sincera, e é isso que importa no rock, a letra é um tanto simplória, mas transborda verdade, sinceridade e é um perfeito registro do que move  boêmios, perdidos e insatisfeitos noites afora, pelas cidades desse mundo podre. Com vocês, o som de mestres perversos e meio esquecidos do rock gótico dos anos 80  (letra abaixo, como cortesia): 

The Night is Calling
(Bator, Turner)
Memories of so long ago
Strange feelings I don't really know
Drawing me from my sancturary
Wandering with shadows
Animal instinction cries
Hear the creature locked up inside
Don't you run from the celebration
Follow me into temptation
Price we pay for nocturnal admission
The night is calling, the night is calling, the night is calling
When the day's killed by the night
I'm awake until mornin' light
Fantasy becomes my possession
Craving immortality
Let me show you my darkest dream
Rituals that will set me free
Dine with me my forbidden feast
Learn the beauty of the beast
Walking in the dark among the danger
The night is calling, the night is calling, the night is calling
Calling, the night is calling, the night is calling, thing calling, the night is
The night is calling, the night is calling
The night is calling, the night is calling
When pleasure becomes the pain
When the feeling's not the same
Taste the fear of this life's convention
Sin was always man's invention
Run with me to nocturnal salvation
The night is calling, the night is calling
The night is calling, the night is calling

 
 

 

 

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Participação muito especial ( e texto meu em outro blog)

Os leitores mais antigos desta tranqueira devem se lembrar que lá pelos idos de 2013 foi aqui publicado um texto de outrem, uma postagem muito bem escrita e sagaz de autoria da Thais Roland, uma mulher fora de série, que conheci durante o exercício de minha profissão, que se tornou com o tempo amiga e parceira de várias cervejadas, e também talvez se recordem que na mesma ocasião em contribui com um texto para o blog dela, o Vadio Amor, excelente manancial de pensamentos, reflexões e ensinamentos sobre relacionamentos amorosos. Pois bem, durante nosso último encontro etílico decidimos: que era mais que hora de uma nova 'contribuição simultânea'. Decidimos os temas de cada texto, o que foi um tanto difícil, dado nosso avançado estado ébrio, he he he. Pusemos mãos aos teclados e as criações finalmente viram a luz do dia(ou a luz dos monitores de computador). Assim, segue a contribuição da Thais para o Noites Cafajestes, logo abaixo (e claro, não deixem de conferir minha postagem no blog dela: http://www.vadioamor.com.br/.



Que tipo de homem você é e por quê?

O mundo tá complicado... bem complicado. Tão complicado que a gente não sabe mais exatamente como agir pra não ofender ninguém, ser mal interpretado ou... sei lá... só não fazer nada de errado.

Meu caro amigo AlexB me passou a difícil tarefa de falar sobre as diferenças entre um cara machista, um cara dominador (ou até violento) e um cara “com pegada” (esses que encantam de verdade), que eu prefiro chamar de homem de verdade.

O machista é fácil. É o covarde, inseguro, cheio de medos... um panaca. O duro é que alguns deles sabem disfarçar bem. Concordam que as mulheres têm que ter os mesmos direitos dos homens, acham mesmo que elas podem usar a roupa que bem entenderem, que merecem ir pra balada com as amigas no final daquela semana punk no trabalho mas......... na primeira oportunidade:
-          Acham que uma mulher trabalhar na construção civil já é exagero. Não por nada... mas é que é perigoso, né... elas podem se machucar.
-          Beleza usar a roupa que quiser, mas esse shortinho apertado e com a poupa da bunda aparecendo pra uma mulher de 40 anos é falta de noção, né. (mesmo que a quarentona tenha o corpo melhor do que muita menininha de 18)
-          Legal aquele grupo de mulheres bebendo e se divertindo na mesa ao lado, mas não dá pra ter nada sério com uma dessas, né...
-          e por aí vai...

Eu sempre digo que tenho a solução perfeita pro fim do machismo. Identificou um machista? NÃO DÊ PRA ELE! Eu quero ver sobrar uma porra de um machista nesse mundo se eles tiverem que sobreviver de punheta pro resto da eternidade. Eu to tentando fazer a minha parte, ficando cada vez mais seletiva. Claro que, às vezes, a gente vacila (principalmente quando tem pernas durinhas a braços fortes envolvidos... a carne é fraca, né, meu!), mas to tentando fazer meu melhor.

Os dominadores são um tipo foda de caras. Alguns são imbecis, babacas e fáceis de identificar. Esses são os violentos. Levantou a mão pra mina ou até a voz de uma forma um pouco mais ameaçadora pula fora e pronto, sem vacilar! Ninguém te obriga a ficar com um escroto, ninguém mesmo!

Agora... o problema é que caras dominadores, em geral, são espertos, traiçoeiros, mentirosos e manipuladores. Eles vão te envolvendo em uma teia bem aos pouquinhos e quando você percebe (se perceber) tá numa situação foda de sair.

Esse tipo de cara sabe escolher bem as suas vítimas pegando sempre as mais carentes. E olha: carência não é uma coisa óbvia não. Tem muita mulher por aí que todo mundo definiria como um tanque de guerra de auto estima e na verdade é super carente.

Caras dominadores fazem de tudo pra sugar toda a energia de suas vítimas. Alguns fazem isso por dinheiro, outros por orgulho, outros só pelo desafio mesmo... Eu sei lá que merda que passa na cabeça desses caras... só sei que eles destroem a gente e relacionamentos desse tipo deixam marcas que nem a vida toda de terapia é capaz de apagar. As cicatrizes são tão profundas que vão, invariavelmente, refletir nos próximos relacionamentos dessas mulheres e aí, os homens de verdade que cruzarem com essas pobres almas têm que ter um pouco de paciência com elas.

E eles terão. Porque os homens de verdade são Homens de Verdade. Prestam atenção na mulher que escolheram para conquistar, não porque querem dominá-la, mas porque querem deixá-la confortável. E, meu! Um cara que te deixa confortável é tipo.... tipo... mano.... tipo tudo! Você poder deitar com um cara na sua cama, sem roupas (porque pele com pele é sempre uma delícia) e saber que podem ficar ali só batendo papo, sem nenhuma obrigação de nada é Mágico!

E não achem que eu sou do tipo que tá esperando um príncipe encantado não (o que eu queria mesmo era um Killian Jones, o Capitão Gancho, da série Once Upon a Time. Ai ai)... péra... do que eu tava falando mesmo? Ah sim...

Pra ter um Homem de Verdade, o mínimo que eu tenho que ser é uma Mulher de Verdade. A gente tem essa mania de querer tudo e achar que a gente simplesmente merece porque já caiu na mão de um monte de tranqueira, ou pior, acha que pode ser tosca com o próximo cara porque já sofreu demais na mão de homem. NÃO! A lei da reciprocidade vale pra todo mundo e não importa o histórico de nenhum dos dois. Relacionamentos novos são novos e devem começar zerados. Nada de projetar as merdas passadas. E, bróder, eu sei que é muito difícil fazer isso, mas a gente precisa. Mesmo que a gente faça uma besteira (o que super acontece), peça desculpas, explique o que rolou. É sempre mais fácil pra pessoa te entender quando você diz o que sente. Isso vale pros dois lados, viu, rapazes que não falam sobre sentimentos!

No final das contas eu acho que a gente sempre recebe o que a gente vibra. Mesmo que eu queira muito um cara bacana, se to vibrando em uma freqüência negativa de energias vou atrair os caras errados. Depois de algum tempo de terapia já descobri que a chave é me conhecer profundamente antes de decidir o tipo de pessoa que quero pra mim, portanto, tudo o que posso fazer por enquanto é ficar atenta pra, pelo menos, não atrair dos machistinhas de plantão e escapar dos dominadores. Amém! Doim!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Reflexão noturna

Um aviso para essas moças que desfilam pelo mundo e pela vida afora, inclusive noites afora, que se acham perfeitas, supremas, absolutas, princesas maravilhosas que não são dignas de nenhum dos insuportáveis, 'imaturos'(esse termo é hilário!), 'galinhas' e desprezíveis homens, que se julgam deusas inacessíveis: esperem deitadas em sua solitária cama no seu solitário quarto o príncipe encantado perfeitinho, pois sentadas morrerão de cansaço e tristeza. E mais: não dirigir uma palavra, virar o rosto e sair andando, como resposta a uma abordagem masculina, inclusive uma feita de maneira educada, não faz de você poderosa, misteriosa ou besteira do tipo, faz de você uma mal educada, pura e simplesmente.

Saudações noturnas e cafajestes

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Descobertas feitas em mesas de bar e registradas em guardanapos - LXXV

"Homem é que nem gato doméstico: quando quer comer, fica carinhoso."

Observação feita por uma conhecida, moça curtida pela vida e bastante cética para com os homens. Os homens que estávamos na mesa com ela rimos, constrangidos, mas concordamos, alguns encabulados.

Tão vendo? Essa tranqueira também zoa os homens!!

Saudações canalhas e cafajestes

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Late friday night (or saturday dawn) feelling

Um clássico absoluto,um blues rock matador, e um perfeito retrato da safadeza e  malícia masculinas, bem como uma forma sutil e canalha de anunciar suas (ótimas) intenções lascivas para com a dama desejada, sem ser explícito. Acompanhem a letra dessa obra-prima, confirmem isso  e sigam a dica deste escriba: é uma forma elegante e ao mesmo tempo bem sacana de deixar claras essas ótimas intenções com aquela moça que se faz, com a sutileza e falsa ingenuidade que só as mulheres de verdade conseguem, de desentendida:
E não peçam explicações sobre as circunstâncias que trouxeram essa música de volta à vida deste cafajeste barato!

 

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Uma irmandade cujos membros, ao se reconhecerem, sabem quão duro é ser parte dela

Um encontro de antigos amigos, que se conheceram e forjaram laços de amizade em redações de jornais prostituídos, agências de comunicação picaretas e editoras nada profissionais. A conversa flui como vinho de um assunto a outro(o trecho em negrito foi surrupiado de um número de Hellblazer escrito pelo grande Garth Ennis),  até que um dos participantes da mesa etílica relata algumas das desditas e sinas que sofreu nas sedutoras e macabras mãos de sua última parceira de vida, cama, copos, etc. Sua narração dos sofrimentos que a referida dama lhe impingiu prossegue em um crescendo que prende a atenção de todos, até que ele chega ao clímax que todos previam e relata as agressões físicas que sofreu. Horrorizado, pois este infeliz escriba já passou pela mesma situação, ele balbucia algo que o rapaz não compreende bem devido ao barulho que preenche o bar, por isso imagina ser incredulidade, daí reafirma: tudo que acabou de relatar é verdadeiro. Ao que respondo: 'acredito em você, não duvidei, fiquei é pasmo e indignado, pois sei que é verdade e sabe como? Vi nos seus olhos o brilho sofrido de um homem que apanhou da mulher que então gostava, sem ter merecido isso, coisa que só nós que já passamos por isso podemos reconhecer'(aliás, me sinto um idiota por reiterar algo tão óbvio e fundamental, mas nesses tempos de burrice campeando à solta, é necessário: NINGUÉM, em um relacionamento, merece receber agressões físicas do outro!!!!!). 
Caros leitores, naquele momento apertamos as mãos como dois irmãos, dois membros da sofrida irmandade dos homens que já sofreram agressões físicas(precedidas por agressões verbais tão humilhantes quantos, irrepetíveis) da sua então mulher. Esta é a irmandade cujo reconhecimento de pertencer a ela nunca é motivo de orgulho, uma tribo que preferia não existir.

E para manter o tom insistente, monótono, raivoso que permeia esta tranqueira nos últimos tempos, encerro a postagem com a seguinte dedicatória: feminazis que sempre relativizam a violência praticada pelas mulheres, vão se foder!!!!!!!!!!!!!!!!